19/07/2008

Diário de bordo - 18 /07/2008


Mais um dia muito especial… todos os dias estão sendo especiais. Hoje levantamos bem cedo e para o nosso espanto lá estava o senhor Osvaldo dono do Albergue. Pasmem, ele estava nos esperando apenas para receber. Até ai tudo normal. Pois bem, depois de nos despedir, ele nos avisou que o café estava na mesa e que se precisasse de alguma coisa a chave da casa estava na fechadura. Isso é normal? Só por aqui mesmo alguém deixa pessoas estranhas na sua casa e simplesmente sai, pois tem compromisso.
Após o café da manhã seguimos viagem em direção a Borda da Mata. Logo na entrada chupamos algumas laranjas dadas por um comerciante e fomos à direção ao Hotel Village, aproveitamos que nesta cidade havia agencia do Bradesco. Lá fomos muito bem recebidos, carimbamos o passaporte e pudemos usar a Internet do hotel gentilmente oferecida pela Jaqueline e Amanda, para nos comunicar com a Mari e a Maju. Foi muito bom poder matar a saudade das duas depois de dois dias sem comunicação com a família. Almoçamos por lá, no restaurante TREM BOM, e dale estrada em direção a Tocos do Moji. Gente é tanta subida e descida que não dá pra contar. Durante o trajeto paramos na casa da D. Ana que foi uma simpatia nos oferecendo água fresca e frutas, conversamos um pouco com ela e aproveitamos o papo para descasar. Como já era de se esperar precisávamos de muita força na perna, pois ainda faltavam 9 km até Tocos do Moji.
A paisagem já estava mudando e eis que encontramos para o nosso deleito, uma plantação de morangos, essa região tem muuuuuuito morangoaproveitamos para comprear uma lata de leite moça.
Então fomos convidados a saborear aquelas maravilhas colhidas na hora, todos vermelhinhos, no começo doce e ao final aquele azedinho todo peculiar da fruta. Bom nem preciso falar que nos esbaldamos de tanto comer e da-lhe leite condenssado.
Como já se fazia tarde dale pedal... e muuuito pedal. Chegamos a Tocos do Moji na Pousada dos Peregrinos. E quem já estava por lá o Fernando (Pirassununga) e Paulo ( Vargem Grande do Sul). Dois peregrinos que encontramos em Águas da Prata e continuamos nos encontrando durante todo o percurso. Chegamos cansados, porém felizes. Tomamos um banho, jantamos e CAMA.

Local onde nos encontramos hj(sábado dia 19)


Diário de bordo - 17 / 07 / 2008


Hoje amanheceu muito frio, porém como pernoitamos na Barra, na Pousada do Tio João, a turma que lá se encontrava levantou com o gás todo. Isso fez com que levantássemos mais cedo e isso foi bastante providencial.
Arrumamos nossas coisas, tomamos o café da manhã para nos esquentar e fomos arrumar as bikes para mais um dia de pedalada, ou talvez empurrada...(Nessa altura não fazia mais tanta diferença, pois a viagem estava maravilha e isso se tornava irrelevante).
Nos juntamos a um pessoal que também estava de bike. Eles eram de Palmas no Tocantins, o Carlos, o Thiago e o Fabricio, esse grupo era uma animação só. Tocamos uma boa parte do trajeto juntos, mas os meninos tinham outras metas, então nos separemos assim que chegamos a Crisólia, pedalamos cerca de 14 km.
Já com mais tempo, aproveitamos para fazer uma revisão nas magrelas passamos em uma cidade onde havia uma autorizada Caloi... Fizemos uma revisão geral Que já não eram mais pretas e sim pardas.
Ao termino da revisão paramos no Bar da Zeti para carimbar os passaportes e aproveitamos para almoçar por lá. Uma comidinha bem simples, porém gostosa. O Sergio aproveitou para cair no macarrão. Eita vontade!! A Zeti é uma pessoa bastante simpática e apesar de toda simplicidade do seu estabelecimento, foi o único lugar até o momento que achamos alguém informatizado. O Sergio aproveitou e tirou uma xerox da planilha de altimetria da viagem.
A saída de Crisólia foi boa. Começamos com algumas descidas. Mas vocês se lembram das subidas? Pois então. Elas estavam lá, todas elas nos esperando. A sorte é que o visual não deixou o astral cair em nenhum momento. É tanta energia boa, que é impossível se ficar de mau humor. Durante todo o trajeto vínhamos conversando e ao mesmo tempo traçando novos planos. Assim decidimos que ao chegar a Ouro Fino, iríamos despachar uma parte da bagagem que já se tornava desnecessária, até ai mais 7 km.
Logo na entrada fomos recebidos pelo MENINO DA PORTEIRA que agradeceu o abraço e o retribuiu ao Tio Valter, lá de Mococa.
Saímos de Ouro Fino em direção a Inconfidentes. Lá paramos no famoso Bar do Maurão. Fomos recebidos por ele que por sinal é uma simpatia e faz um pastel de carne bem generoso e nos serviu com uma Tubaína geladinha e azedinha. Hummmm uma delicia. Logo poderemos acessar a Internet por lá.
Após sairmos de lá pedalamos mais 6 km em direção ao Albergue Águas Livres, onde passamos a noite. É um lugar muito bonito. Jantamos um delicioso macarrão com brócolis e vinho.
Já pedalamos aproximadamente 205 km, ou seja, 50 % da viagem.

Diário de bordo - 16 / 07 / 2008






Hoje o dia amanheceu lindo…claro… frio e muito vento.... Lógico estávamos no Pico do Gavião a 1.663 Mts de altitude......Existe 2 alternativas para a descida, o caminho dos Peregrinos e o caminho convencional......resolvemos descer pelos peregrinos....o visual é maravilhoso......mas o terreno....caracaaaaaaa......muita pedra e grande... quase no final o primeiro PERRENGE......acabei atropelando uma baita pedra, com isso estourou a abraçadeira do bagageiro dianteiro, quebrando a junção, com isso lá se foi meu alforje dianteiro... desmontamos..... remontamos sobre a bike da Elisa. E tocamos assim até Andradas....Chegando lá, fomos ao correio e despachamos por Sedex os alforjes.....Nada disso tirou nosso bom humor e a vontade de seguir viagem.
Vamos lá e tome morro a tão falada Serra dos Lima....não é fácil.....e a bike da Elisa com parte da minha bagagem........enfim chegamos a pousada da D. Natalina......tomamos uma água fresca e seguimos viagem. Logo a diante para nossa surpresa um senhor do alto de sua casa fazendo gestos como se estivesse nos abençoando... Paramos e ao me aproximar dele percebi não só a expressão de cansaço do tempo, mas uma enfermidade que levou dele parte de seu corpo, assim como a voz... Através de gestos nos ofereceu café... Agradecemos e ele insistiu e nos deu laranjas... Uma vez mais nos abençoou... Eu agradeci e ele me pediu para aguardar mais um pouco... Foi até dentro de sua casa voltando com um berrante, tentado nos dizer que quando passava os peregrinos ele tocava seu Berrante... Uma vez mais agradeci tal generosidade deixando com ele uma das fitas dos peregrinos que havíamos ganhado anteriormente.

Visitas

Seguidores

A gente agradece...

A gente agradece...

TIPOS DE CICLISTAS

Tem ciclista que mais gosta de trilha que estrada...né Castílho
Tem ciclista que namora ...casa com a bike...
Tem ciclista que adora pedalar de dia...
Tem ciclista que não pode ver uma subida que já começa a reclamar...
Tem ciclista que mais empurra que pedala...
Tem ciclista que adora subida...
Tem ciclista que não pode ver uma descida que se joga...
Tem ciclista que cai parado... né Sergio...
Tem ciclista que mais ri do que pedala...
E outros de pedalar a noite...
Tem ciclista de meia idade...
Tem ciclista que adora pedalar pelado...
Tem ciclista jovem, gatão e criança...
Tem família de ciclistas...
Bom, nós somos um “casal de ciclistas”.
E você que tipo de ciclista é...

Euzinha