25/01/2009

Parabéns Terra da Garoa - 455 anos - São Paulo











Neste domingo, 25 de janeiro, a cidade de todos os credos, cores e raças comemorou seus 455 anos. E nós não poderíamos deixar de comparecer a esta festa éramos aproximadamente 500 ciclistas dispostos a pedalar por suas rua e avenidas.
Nos juntamos no local de sempre (Parque das Bicicletas) no cruzamento da Av. Ibirapuera com Indianópolis por volta das 10 horas.
Nossa primeira parada para uma hidratação foi a esquina mais famosa do Brasil, Av. Ipiranga com Av. São João, onde compartilhamos nossa parada com um desfile de carros antigos.
Dali seguimos em direção a Rua da Consolação, Av. Paulista, descemos a Rua Pamplona, Av. Brasil, Ibirapuera e retornamos ao Parque das Bicicletas.
Foi um pedal tranqüilo, durante o percurso encontramos vários amigos de pedal, tiramos muitas fotos e compartilhamos bons momentos.
Durante o dia de hoje vários grupos de ciclista também puderam pedalar pela cidade, um deles reuniu 5.000 ciclista na ponte Otavio Frias de Albuquerque (Estaiada) dali até a Cidade Universitária.
Valeu galera....Parabéns São Paulo.

Paraty ( em Construção)

06/01/2009

Paraty

Depois de um belo Arroz x Feijão e uma boa noite de sono, o dia amanheceu tímido em Paraty, mesmo assim saímos para um passeio pelo centro histórico, passando por uma das ruas estréias paramos na Casa do Artesão onde conhecemos o artista Humberto de Souza Lima,um simpático mineiro e suas obras sacras, de um bom gosto incrível.
Depois de andar um pouco mais pelas ruas estreita e calçamento de pedras “Pé de Moleque” passamos pelo atelier do artista Aecio Sarti e suas pinturas sobre lona reciclada ...genial, também conhecemos um simpático uruguaio Marcelo um artista que faz um belo trabalho com moedas, ao som de um bom tradicional jazz.
Almoço.......chuva......retornamos a Pousada Centro Histórico onde estamos hospedados e cama......muito bom....
Último dia de pedal...
Hoje ao levantar na Pousada Bella Vista conhecemos o Cleber o filho do proprietário... uma pessoa muito simpática,que durante gostoso café da manhã nos deu diversas dicas sobre Paraty, inclusive nos falou da serra do Quebra Cangalha que nos esperava, tranquila e úmida.
Realmente a serra era extremamente pesada, muitas descidas e subidas com curvas cabulosas. Essa serra faz parte da Serra da Bocaina que se encontra parte no estado de São Paulo, parte no estado do Rio de Janeiro. Se não fosse a chuva e o tempo fechado teríamos a contemplar uma paisagem paradisíaca.
No meio da serra já estávamos muito cansados tanto da subida como da chuva. Então decidimos procurar um lugar para almoçar... e eis que encontramos um lugar singular a Villa Favorita...Que é realmente um luxo, na entrada fomos recebidos por um lindo jardim italiano...cheio de Hortênsias. O expediente já havia terminado, entretanto o Ernani Tedeschi, proprietário da pousada nos recebeu com um festival de massas (imperdível).
Faltavam 5 km para o início da serra...depois de um almoço cheio de energia foi fácil terminar a serra.
É pessoal a nossa viagem estava prestes a tomar outra cara... A descida da serra foi sinistra como disse o Marcos, de Belo Horizonte, um cicloturista que encontramos no início da descida da serra...É foi, adrenalina pura, 16 km de muita chuva, barro e pedra...
Foi uma descida muito divertida.e ao final a entrada de Paraty...Pousada Centro Histórico, da Regina...banho, banho, comida e cama.hahahahaaaaaaa.

05/01/2009

Mais um dia especial







Quem disse que já tínhamos vivido grandes emoções... se enganou... Tomar chuva na descida de Campos foi muito gostoso, mas vocês nem imaginam o que estava nos esperando.
Ao sairmos de Guaratinguetá o tempo estava novamente muito amuado... tímido e completamente fechado, parecia não querer conversa, porém como bons aventureiros não nos intimidamos e resolvemos sair em direção a Cunha.
Não havia muito movimento na estrada e como não chovia... pé na estrada...Após alguns quilômetros encontramos a primeira indicação da Estrada Real (uma placa de sinalização), lógico que não podíamos deixar de registrar.
Começamos a subir a serra e para a nossa sorte, se é que isso pode ser considerado sorte ficamos totalmente sem acostamento e acompanhados de uma chuva fina, tornando a estrada mais perigosa, isso necessitou muito mais cuidado e atenção.
Dez quilômetros a frente encontramos o primeiro Totem, foi bem legal.
A chuva nos acompanhou durante os 24 quilômetros a frente...
À uma hora da tarde a fome bateu e para nosso deleito encontramos a beira da estrada a Churrascaria da Serra, foi lá mesmo que paramos para o almoço. Um pessoal muito gentil e simpático nos atendeu... Após a refeição trocamos uma idéia com a Maria Celeste filha do proprietário da churrascaria que mora em Guará.
Saímos de lá às 14 horas rumo a Cunha... gente era subida o tempo todo...enfim...chegamos a Cunha ensopados...cansados...só queríamos um banho quente e uma cama para descansar.
Amanhã iremos analisar o tempo e decidir o que faremos...

03/01/2009

Um dia de chuva...outro de sol







Obrigada Paulo e Ana Maria da Pousada Champêtre pela hospedagem pelo canelone maravilhosa que a Ana nos preparou e pela boa conversa, foram momentos inesquecíveis...
O dia prometia... céu aberto, sol, vento, velocidade e como sempre muita aventura.
Fizemos o percurso de Piracuama à Pindamonhangaba,onde paramos para um pequeno reparo nos freios trazeiros, passamos pela bicicletaria Liberdade onde o Aislan gentilmente nos atendeu, ai sim partimos rumo a Guaratinguetá tranquilamente a estrada não estava movimentada e pudemos fazer várias filmagens. No meio do caminho aproveitamos para fazer um lanche na última parada do Caminho da Fé (Aparecida)passamos pelo marco da Paz Mundial fotografamos o monumento e logo na saída do Santuário encontramos um ciclista peregrino o ALMANDO da cidade de Tambaú ele com toda sua simplicidade que também se estendia a sua Bike. De lá tentamos contato com uma amiga (Claudia Toledo), que mora em Guaratinguetá, porém ela se encontrava em São Paulo... foi um pena não poder vê-la...fica para a próxima.
Fomos jantar num restaurante muito charmoso chamado Esperança e voltamos ao hotel para descansar.
Amanhã, estaremos saindo rumo a Cunha.

Sergio e Elisa

02/01/2009

Pedalar na chuva...lavou nosso corpo e a nossa alma...











Depois de uma noite “européia” em Campos o dia amanheceu fechado e com uma chuva finíssima... típica da serra.
O tempo estava indeciso... hora clareava... hora chovia...Então resolvemos tomar tranquilamente o nosso café, já que não podíamos fazer absolutamente nada, apenas esperar.
Quando terminamos o nosso desjejum percebemos que o tempo ficaria encoberto,. Então arrumamos os alforjes nas bikes e,
planejamos a descida desta vez não pelo Mirante do Lajeado
pois a pista poderia estar comprometida pelas chuvas, descemos então pela rodovia, por motivos de segurança.
A opção não poderia ter sido melhor, pois já tínhamos a experiência de fazer esse caminho pelo Mirante com sol e agora em um dia chuvoso pela rodovia, foi muito bom... Fizemos todo o trajeto de maneira segura e tranquila. Só para variar faltando poucos quilômetros para chegar à próxima parada o bagageiro dianteiro da bike da Elisa quebrou, por sorte não aconteceu nada de mais grave um breve reparo, seguimos viagem.
Resolvemos ficar hoje na charmosa Pousada Champêtre... Um belo refúgio no pé da serra em Piracuama, próximo a Pindamonhangaba.

01/01/2009

Mais um ano se passou...2009 começamos com novas pedaladas...











Primeiro dia do ano...
8 h 30 da manhã... Depois de um dia exaustivo de trabalho (31) estamos animados para a primeira viagem de 2009...




Arrumamos as magrelas e saímos para tomar um café. Este foi o nosso combustível para a pedalada até o terminal do Tietê.
La encontramos vários atletas que vieram de diversos lugares do país, para participar da corrida anual São Silvestre e dentre eles o Itabereci, de Belém do Para, um ciclista especial, ele participou da corrida em sua categoria chegando em quinto lugar. Parabéns Itabereci pela sua garra!!!!




Saímos de São Paulo ao meio dia, embarcamos sem problemas, as magrelas ficaram bem acomodadas no bagageiro do ônibus.
Estávamos fazendo uma boa viagem e, ela não poderia ter ficado melhor... Quando estávamos subindo a serra para Campos o telefone tocou.... era a Mariana e a Paula, ligando de Cochabamba na Bolívia onde passaramo Ano Novo acampadas em plena Cordilheira dos Andes. Nós só havíamos conversado com a Maria Julia em Foz do Iguaçu e foi um presente de boa viagem poder falar com elas. Valeu meninas!!!




Chegando em Campos demos um role pela cidade, que por sinal estava muito agitada... Fomos até o Alto do Capivari e lá desfrutamos um fantástico prato de espaguete ao suco, estava uma delícia. Ficamos ali pelo centro, conversamos com várias pessoas que pedalam em São Paulo.




Lá pelas 5 horas tentamos entrar em contato com o nosso amigoBijoux, porém não tivemos sucesso. Então o cansaço já estava batendo e resolvemos procurar uma pousada para descansar o esqueleto. Agora estamos aqui no aconchego da Pousada Serena. A chuva deu sinal de vida, mas nada que nos desanime... Amanhã será um novo dia... Até amanhã pessoal....

Sergio e Elisa

Visitas

Seguidores

A gente agradece...

A gente agradece...

TIPOS DE CICLISTAS

Tem ciclista que mais gosta de trilha que estrada...né Castílho
Tem ciclista que namora ...casa com a bike...
Tem ciclista que adora pedalar de dia...
Tem ciclista que não pode ver uma subida que já começa a reclamar...
Tem ciclista que mais empurra que pedala...
Tem ciclista que adora subida...
Tem ciclista que não pode ver uma descida que se joga...
Tem ciclista que cai parado... né Sergio...
Tem ciclista que mais ri do que pedala...
E outros de pedalar a noite...
Tem ciclista de meia idade...
Tem ciclista que adora pedalar pelado...
Tem ciclista jovem, gatão e criança...
Tem família de ciclistas...
Bom, nós somos um “casal de ciclistas”.
E você que tipo de ciclista é...

Euzinha